segunda-feira, 6 de agosto de 2012

«- E porque saiu das Produções Fictícias?

- Porque as Produções Fictícias transformaram-se exactamente numa empresa igual àquelas de que fugi. Com o objectivo do lucro, da exploração do trabalhador. Saí desiludido. Uma coisa que tinha bom ambiente, e que podia ser uma espécie de cooperativa de pessoas que escrevem, transformou-se em algo que não é diferente do Pingo Doce, funciona da mesma maneira.»

Também tu, Nuno Artur?
_____________________________
* JQ a querer, a sério, sair da «zona de conforto» - na moda e pestífero como, por exemplo, a «narrativa», o «empreendedorismo», a «caminhada» ou o «pequeno Martim» - é que minha nossa senhora! Mas se até o excelente Nuno Artur Silva, antigo professor de Português, diz sempre «à última da hora», não pode o genial João Quadros ser pífio durante 1 segundo?