segunda-feira, 12 de outubro de 2015

A "espada de Dâmocles"

e a erudição de Sérgio Figueiredo.
«Evidentemente que era uma espada de Dmócles [assim, tal qual] que o director de informação tinha, o dia em que isto* eventualmente pudesse acontecer.» - minuto 08:50

Momento de ignorância esdrúxula? Talvez.

Nada como um director de informação culto. A TVI instrói e o povo agradece.

Espada de Dâmocles  
- Assim diz o demarco, Masculino de Portugal; e se o demarco diz, quem ousa demarcar-se? 

PS
Já o católico Marcelo, próximo Presidente da República — ó quase católico Nóvoa, desiste, pá! —, espero que esteja arrependido de, em Celorico de Basto, pelas 18 e picos de sexta passada, ter confessado publicamente «às portuguesas e aos portugueses» — se o ridículo matasse… — que, minuto 09:45, «sentiria até ao fim dos meus dias o remôrso [assim, tal qual] por ter falhado por omissão.», ter proferido deficientemente o «remorso».
Se não servir o ensinamento do doutor Mendes ou a explicação do doutor Rocha, toca a aprender com o senhor demarco, Masculino de Portugal, que não se cala.
_____________________________________
* isto, a candidatura à presidência da República do professor Marcelo e a consequente suspensão do seu espaço dominical televisivo.